Informativo Semanal

 

boletim-sivamar14a1908_2.png

 

Reforma Trabalhista

O Sivamar promove, no dia 18 de setembro, a palestra “Os principais impactos da reforma trabalhista na relação entre empregado e empregador”. A palestrante será a advogada trabalhista Leda Maria Messias da Silva, que é pós-doutora pela Universidade de Lisboa em Direito do Trabalho, doutora e mestre em Direito das Relações Sociais, na subárea de Direito do Trabalho, pela PUC-SP; professora associada da graduação e pós-graduação da UEM, universidade em que é pesquisadora; professora e pesquisadora da Unicesumar; autora e coautora de diversos livros, entre eles “O assédio moral na administração pública”, “Cooperativas de trabalho: Terceirização sem intermediação”, da Editora LTr, de São Paulo.

 

Para associados

A palestra, que será às 19 horas no Sivamar, abordará questões essenciais da reforma trabalhista, como o negociado e o legislado, extinção do contrato por acordo, jornada de trabalho 12 por 36 horas, banco de horas, prêmios, contrato intermitente, intervalo intrajornada, gratificação. As inscrições custam R$ 180 para associados, estudantes e parceiros, e R$ 360 para não associados do Sivamar. Informações e inscrições pelo telefone (44) 3026-4444. As vagas são limitadas.

 

Boa notícia

O avanço de 3% nas vendas do comércio varejista em junho - em relação ao mesmo mês do ano anterior - teve perfil disseminado de taxas positivas entre as atividades investigadas, segundo os dados da Pesquisa Mensal de Comércio divulgados pelo IBGE. As principais contribuições para o crescimento do varejo foram de móveis e eletrodomésticos (12,7%); tecidos, vestuário e calçados (4,6%); e outros artigos de uso pessoal e doméstico (4,3%). O IBGE ressaltou que o mês de junho de 2017 (21 dias) teve um dia útil a menos do que junho de 2016 (22 dias). Para saber mais, clique aqui.

 

Custo maior

O Conselho Federal de Administração (CFA) critica a nova plataforma de cobrança por boleto bancário instituída pela Federação Brasileira dos Bancos (Febraban). Segundo o conselho, que representa os administradores de empresas, a mudança deve impactar as empresas, principalmente do segmento de comércio eletrônico, pois os bancos passaram a cobrar os boletos bancários emitidos e não só os compensados. De acordo com o CFA, os bancos cobrarão também taxas de emissão de segunda via ou de alteração de informações, o que deve acarretar um aumento de custo da operação.

 

Protesto

Para o presidente da entidade, Wagner Siqueira, a mudança onera apenas as organizações e a sociedade, sem qualquer contrapartida da rede bancária. Já a Febraban alega que o sistema de cobrança funcionava há mais de 20 anos e precisava ser atualizado e que a nova plataforma de cobrança trará benefícios como maior segurança, facilidade no pagamento de boletos vencidos, além de evitar o envio de boletos não autorizados. O Conselho de Administração está organizando um protesto no dia próximo dia 23, na Esplanada dos Ministérios, em Brasília, para chamar a atenção da sociedade sobre o impacto do fim dos boletos sem registros.

salão-eventos-sivamar.png

 

Voltar